Tratamento Conservador

O Lipedema é uma doença que se caracteriza por um acúmulo de gordura localizada incomum, desproporcional e doloroso. Esta gordura é resistente a dietas e exercícios físicos.

 

O tratamento para esta condição se dá através de equipe multidisciplinar com profissionais capacitados. Nutrição, fisioterapia, atividade física, medicina integrativa e muita empatia.

Em alguns casos intervenções cirúrgicas são recomendadas. No entanto, você pode começar a tratar hoje e ver melhoras nos sintomas em poucas semanas.

 

embodyment-ladies-purple-line.jpg

MÉDICO DE FAMÍLIA

O Médico de Família e Comunidade é aquele que se especializou em cuidar de pessoas; independente da idade, sexo ou tipo de problema que ela tem. Ou seja, não são especializados em órgão ou doenças, mas, sim, ESPECIALISTAS EM GENTE!!! 

Na Medicina de Família e Comunidade a pessoa é vista como um TODO, e não reduzida à doença ou aos seus sintomas. São levados em conta nessa consulta, além de suas queixas, sentimentos e expectativas, as melhores evidências científicas, contexto familiar e social, que auxiliam no cuidado para que as recomendações e tratamentos sejam personalizados e adequados para aquele indivíduo. 

 

Assim, para nossas pacientes de Lipedema podemos otimizar e individualizar ainda mais seu tratamento. Escutamos suas queixas principais e enxergamos além da doença; realizando o acompanhamento longitudinal dessa pacinete, equilibrando e melhorando sua qualidade de vida.

Dessa forma, a paciente pode optar pelo tratamento conservador ou cirúrgico sabendo que irá obter os melhores resultados, pois seu corpo está recebendo o melhor cuidado integralmente.

Conteúdo escrito com auxílio da médica de família Dra. Estefania Cintra.

NUTRICIONISTA

Dentro do tratamento conservador, a nutrição e atividade física adequada são, como em muitas doenças, a base do tratamento. Uma das grandes dúvidas dos pacientes com lipedema são sobre alimentação e atividade física. Como a doença ainda não é muito disseminada entre os próprios profissionais da saúde, os pacientes sofrem com dietas ineficazes e são desacreditados por falta de resultados. 


O Lipedema é caracterizado com um acúmulo de gordura desproporcional é altamente inflamatório. Por isso a dieta anti- inflamatória é a mais indicada para as pacientes. 
Ao retirar os fatores inflamatórios, além de mudanças estéticas os pacientes apresentam grandes melhoras nos sintomas. 


Alguns estudos apontam também a dieta cetogênica, entretanto ela não traz benefícios aos sintomas e caracteriza- se por grandes restrições alimentares. Outro grande desafio para os pacientes é a prática de atividade física. Com dores, muitos pacientes sentem dificuldade em práticas de exercício de força. Dentre os estudos já realizados, a hidroginástica e natação apresentam ótimos resultados, pois promove tração na água sem impacto, sendo um ótimo exercício para os pacientes que apresentam desconforto. 


Com a evolução da dieta e melhora nos sintomas, os pacientes podem realizar exercícios de resistência como musculação, funcional, entre outros.  Esta modalidade de exercício, demonstra ótimos resultados em relação a gordura não lipedema resultando em melhoras estéticas. A gordura lipedema tarda um pouco mais para surtir efeitos, mas com treinamento regular, também demonstra diminuição do diâmetro. 


Outras condições estão associadas ao lipedema, como resistência à insulina, disbiose intestinal, intolerâncias alimentares, retenção de líquido, perda de massa muscular progressiva, baixa imunidade e falta de energia vital. Mais uma vez a dieta e atividade física adequadas promovem o tratamento não medicamentoso dessas condições. Devolvendo a sensação de bem estar físico e emocional as pacientes e proporcionando um novo estilo de vida. 
Em nosso Instagram, trazemos dicas sobre alimentação, atividade física e receitas. Nos acompanhe e fique por dentro de todas as atualizações.

Conteúdo escrito com auxílio a nutricionista Izabelle Jade Cavalari Albuquerque.

FISIOTERAPEUTA

PHOTO-2020-03-21-14-29-47.jpg
PHOTO-2020-03-21-14-29-45.jpg

A fisioterapia, em qualquer tipo de atendimento, sempre terá como objetivo melhorar a função e reestabelecer o paciente o mais rápido e da maneira mais eficaz possível.


Nas pacientes com Lipedema não é diferente! Podemos atuar no tratamento conservador, pré e pós-operatório.  Em todos os momentos, o mais importante é estar ao lado da paciente, ouvindo, apoiando e decidindo em parceria os passos que serão traçados e aplicados no tratamento.

       

Para entender melhor como podemos atuar, dividiremos nossas ações nesses três momentos:

CONSERVADOR: neste momento, o foco é cuidar dos desconfortos circulatórios, ganhar ou manter a flexibilidade e força das áreas acometidas e traçar orientações que sejam pertinentes ao dia a dia da paciente. Podemos aplicar a Drenagem Linfática Manual, Orientar quanto ao Uso de Meias Compressivas, Elaborar um Programa de Alongamentos e Fortalecimentos com grau personalizado para cada paciente.

PRÉ-OPERATÓRIO: quando a decisão pela cirurgia é tomada, a fisioterapia pré-operatória entre em campo para preparar a pele, a circulação e condicionamento da paciente para o processo cirúrgico e, principalmente, para o pós-cirúrgico. Neste momento, a drenagem linfática manual se mantém, a hidratação do tecido é amplamente focada, os exercícios respiratórios são inseridos e o programa de alongamentos e fortalecimentos deve ser intensificado. Um dia antes da cirurgia, a drenagem linfática manual e o enfaixamento compressivo serão extremamente benéficos na melhora circulatória e hidratação celular para o procedimento cirúrgico.

PÓS-OPERATÓRIO: agora é a hora de intensificarmos os cuidados para que o resultado do sonho tão esperado seja o melhor possível!

Logo após a lipoaspiração, podemos intervir com a drenagem do terceiro espaço, ou seja, através de manobras sobre a pele hidratada, realizamos o estímulo para extravasamento do líquido excessivo que se mantém na paciente via fístulas mantidas abertas.

Uma vez que a técnica tumescente é utilizada, será possível observar uma grande quantidade de líquido a ser retirado, isso porque para a remoção, de forma segura e com êxito, dos depósitos de gordura, com pouco desconforto, sem complicações e alcançando melhores resultados cosméticos é necessário injetar uma solução nas áreas a serem operadas contendo anestésico e adrenalina, que diminui os vasos capilares com o intuito de abrandar a perda de sangue.

Após a realização da drenagem do terceiro espaço é de suma importância a contenção das áreas operadas, o que pode acontecer através de malha compressiva ou do enfaixamento compressivo (igual ao realizado no pré operatório).


O taping linfático também é indicado neste momento e deve ser aplicado em áreas específicas após a avaliação criteriosa da fisioterapeuta. Nos dias subsequentes à cirurgia, média de 7 dias, a intervenção diária da fisioterapia é necessária para retirada do enfaixamento compressivo, drenagem do terceiro espaço nas áreas que mantiverem fístulas para extravasamento, drenagem linfática manual nas áreas que não possuírem abertura para saída do líquido, aplicação de terapia manual para prevenção e tratamento das áreas que apresentarem rigidez – e que podem futuramente apresentar formação de fibrose - , hidratação da pele para prevenção de lesões, novo enfaixamento compressivo ao término da aplicação das técnicas, orientações de exercícios metabólicos, assim como, respiratórios e de manutenção de condicionamento físico (ajustado para o período pós operatório).

Em média, após 10 dias da cirurgia, já é possível substituir o enfaixamento compressivo por uma malha compressiva, a qual trará maior independência e conforto à paciente.

Neste momento, o tratamento fisioterapêutico poderá ser mais espaçado – de 2 a 3 vezes por semana - focando na drenagem linfática manual, terapia manual sobre os tecidos, uso ou não de taping linfático, aplicação de laser – caso necessário –, manutenção dos exercícios metabólicos, respiratórios e de condicionamento físico.

O mais importante é lembrar que o tratamento sempre será personalizado após uma criteriosa avaliação fisioterapêutica para que os objetivos sejam traçados de acordo as necessidades individuais de cada paciente.

Conteúdo escrito com auxílio das fisioterapeutas Pâmela Bulgarelli e Diamani Caran.

PSICOTERAPIA

A psicoterapia é um processo que pode trazer benefícios para todos, uma vez que, todos nós vivemos conflitos em nossa vida e, olhar para si mesmo, é algo que precisa ser valorizado, pois o autoconhecimento nos traz a possibilidade de ressignificarmos o que passou, nos deixando marcas negativas. 

No caso das pacientes com lipedema não seria diferente, pois a maioria delas relatam episódios da sua infância que afetaram de forma negativa na construção da autoestima. Normalmente as histórias se assemelham, meninas que se excluíam de momentos sociais básicos (festa do pijama, excursão para o clube, uso de shorts no calor, banho de piscina com os amigos, entre outros) por se sentirem diferentes e observadas. 

Na primeira infância sempre buscamos nos identificar, nos sentir pertencentes de algo, e no caso das pacientes com lipedema, grande parte das vezes as pernas já se destacam enquanto ainda são crianças gerando sensação de desconforto e de não pertencimento, sensação que normalmente as acompanham até a fase adulta. 

Agora vamos acumular por anos e anos essa sensação de desconforto, não pertencimento, não reconhecimento e muitas vezes falta de autoaceitação. Como irá se formar a autoestima dessa mulher? Lembrando que a autoestima não gera impacto apenas na forma que essa mulher se enxerga fisicamente, mas também na forma que irá valorizar seu trabalho, sua produção, sua inteligência, seu Eu como um todo... 

Acredito que agora esteja mais fácil compreender a importância do acompanhamento psicoterapêutico no tratamento do lipedema, pois o processo terá como foco a desconstrução da autoestima não adaptativa formada até o momento e a construção da autovalorização, do reconhecimento e de que há uma doença instalada em seu corpo e por esse motivo a autocrítica pode e deve ser adaptada e ressignificada. 

Mesmo para os pacientes que passam pela cirurgia, a psicoterapia é de extrema importância, pois apesar da transformação física, muitas vezes ainda há dificuldade da paciente perceber a normalização dos seus membros, e em alguns casos não conseguem gozar por completo da liberdade conquistada e permanecem com medo de retornarem para estaca zero, alimentando o medo de obter a gordura retirada de volta, de não seguirem livres do lipedema. 

Por esses e muitos outros motivos a psicoterapia se faz extremamente necessária também para o tratamento de pacientes com lipedema. A terapia nos traz a oportunidade de recomeçarmos, de usarmos nossa história como trampolim, ao invés de usá-la como âncora. 

Terapia é vida, é libertação!

Conteúdo escrito com auxílio da psicóloga Elisangela Niná.